sexta-feira, 3 de março de 2017

CABACEIRAS DO PARAGUAÇU: Município inicia comemoração de 170 anos do poeta Castro Alves

No próximo dia 14, o município de Cabaceiras do Paraguaçu, no Recôncavo baiano, comemora os 170 Anos de Aniversário de Nascimento do Poeta Castro Alves. As festividades se concentram no Parque Histórico Castro Alves (PHCA), localizado na Fazenda Cabaceiras, local onde ele nasceu. No espaço, serão realizadas diversas atividades, a exemplo da 16ª edição do Festival de Declamação de Poemas de Antônio de Castro Alves e do 3º Festival Infantil de Declamação de Poemas de Castro Alves.
Os interessados podem se inscreve pelo telefone (75) 3681-1102 ou na administração do parque, de segunda a quinta-feira, das 9 às 12h e das 14 às 17h (procurar por Reiny Oliveira). Os concursos acontecem no dia 11, sendo o infantil às 10h e o adulto às 13h. No dia 14, a programação é mais intensa, com as premiações dos concursos (quando os cinco primeiros colocados das duas categorias se apresentam novamente) e a abertura da exposição ‘Imagens dos Vaqueiros da Bahia’, além de outras atrações festivas.

O evento, uma iniciativa da Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Dimus/Ipac), vinculada à Secretaria de Cultura do Estado (Secult), já é uma tradição e reúne pessoas de diversas regiões e de todas as idades que prestam homenagem ao grande poeta baiano, autor de ‘Espumas Flutuantes’, ‘Vozes D’África’ e ‘O Navio Negreiro’.

A diretora da Dimus, Fátima Santos, explica que o festival foi criado para homenagear o poeta Castro Alves e incentivar a juventude a usar a poesia para manifestar seus sentimentos. “Os poemas do grande poeta expressam o seu romantismo, o seu amor à pátria, além do intenso sentimento libertário”.

Segundo a coordenadora do PHCA, Diogenisa Oliva, além de toda a programação especial, o público pode aproveitar para conhecer o museu, que conta a história de Castro Alves e vem realizando atividades em sintonia com os ideais do poeta. “O público pode usufruir dos projetos socioeducativos permanentes do parque e ainda de projetos, como uma típica casa de farinha nordestina que foi construída no local, e, agora, da nova exposição de vaqueiros, que dialogam com este ideal e de valorização da comunidade”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário