domingo, 6 de maio de 2018

Acusado de matar delegado na Bahia usava celulares em nome de Michel Temer e José Ronaldo

Acusado de ter participado da morte do delegado Marco Torres, que atuava nas cidades de Ibcoara e Barra da Estiva, Guilherme Silva Fraga, de 27 anos, preso pela Polícia Civil de Minas Gerais, nesta quarta feira (02), usava dois aparelhos de telefones celulares, um cadastrado em nome do presidente Michel Temer, e outro com o nome de José Ronaldo, ex prefeito de Feira de Santana. As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

O corpo do delegado Marco Torres que estava desaparecido desde o dia (12/04), foi encontrado carbonizado dentro de seu veículo, uma Hilux Branca, placa PKV-3845, na rodovia entre Anagé e Tanhaçu, no dia seguinte a seu sumiço. Uma motoneta Biz na que estava na caçamba também foi queimada.

No dia 27 de abril, uma ação conjunta entre as policiais da Bahia e de São Paulo localizaram dois suspeitos da morte do delegado em Interlagos, na capital paulista. Teles Davidson Junior de 29 anos, foi morto, e Julio Carlos pereira Rocha, de 34 anos, foi alvejado com um tiro na perna e preso.

A agenda de Guilherme continha o CPF e nome completo do presidente Michel Temer, outro aparelho celular estava cadastrado com o nome de Zé Ronaldo (DEM), ex-prefeito de Feira de Santana e pré-candidato ao governo da Bahia.

O suspeito não contou como obteve os dados de temer e de Zé Ronaldo, a polícia acredita que os telefones eram usados com a intenção de dificultar a obtenção de escuta dos aparelhos pela polícia que agora vai investigar como o acusado teve acesso aos dados dos políticos.

Um comentário:

  1. Só ir na internet que se tem o nome e CPF de qualquer político kkk

    ResponderExcluir