sexta-feira, 18 de maio de 2018

GOV. MANGABEIRA: Movimento “Marina pede Justiça” realiza caminhada contra a violência doméstica

Ainda chocada com a barbaridade do crime que vitimou a servidora pública Marina Cerqueira, há uma semana, a população mangabeirense organizou o Movimento “Marina Pede Justiça”, que busca uma solução ágil para o crime, além de conscientizar as mulheres acerca da violência doméstica.

A primeira ação do movimento foi uma caminhada, na manhã desta sexta-feira (18), pelas principais ruas da cidade.

Vestidas de branco, as pessoas pediam pelo fim da violência contra a mulher e o feminicídio, gritando palavras de ordem, como “Queremos Justiça”, “Marina pede Justiça” e “Todos Somos Marina”. Durante a caminhada, a equipe organizadora buscou conscientizar a população sobre a importância de denunciar este tipo de crime, apresentando dados assustadores sobre o feminicídio no Brasil nos últimos anos, para que novos crimes não venham a acontecer no município. Também foram distribuídos materiais com informações importantes sobre o combate à violência contra as mulheres e como agir nestes casos.
O prefeito Marcelo Pedreira, que colocou a Prefeitura Municipal à disposição para apoiar o grupo, participou da caminhada e falou que, através da união de todas as vozes, gêneros e cores da população para se manifestar por justiça, Marina se manterá viva. “Este movimento é um grito de saudades por Marina, mas também um grito em defesa de todas as mulheres de Governador Mangabeira. A caminhada tem dois grandes objetivos. Primeiro, exigir justiça, e segundo, afirmar que ninguém aceita mais a violência contra a mulher”, defendeu.

O prefeito também se dirigiu à família da vítima, afirmando que, neste momento de dor e de tristeza, eles não estão sozinhos e que a população hoje foi às ruas demonstrar, com muito carinho e solidariedade, que também partilha da dor desta perda.

O Movimento também contou com o apoio da Secretaria Estadual de Políticas para as Mulheres, que enviou uma representante para a caminhada, após receberem uma visita da comissão organizadora. A representante da Secretaria, Uiara Lopes, destacou alguns dados sobre a violência contra a mulher e disse que o caso e que a população precisa de uma resposta sobre o caso e da garantia de que outras mulheres não serão vítimas da mesma situação. Ela também falou sobre a importância de não se calar. “Não podemos silenciar. Em briga de marido e mulher todo mundo deve meter a colher. Quem silencia compactua”, alertou.

A comissão organizadora do Movimento agradeceu à Prefeitura Municipal pelo apoio à causa e adiantou que outras ações e atividades estão sendo planejadas para que o caso não seja esquecido e para conscientizar cada vez mais mulheres.
Veja o vídeo do movimento no play abaixo
                

Nenhum comentário:

Postar um comentário