segunda-feira, 28 de maio de 2018

Oitavo dia de greve de caminhoneiros tem protestos nas rodovias estaduais e federais na Bahia

Rodovias federais e estaduais baianas seguem com protestos nesta segunda-feira (28), oitavo dia de greve de caminhoneiros. Nas manifestações, o tráfego flui normalmente para carros e ônibus. Apenas caminhões e carretas são retidos. BR 116 Sul: Segundo a concessionária Via Bahia, que administra trechos da rodovia, há manifestações em andamento com restrição de passagem para veículos de carga em sete cidades. O tráfego está fluindo normal para demais veículos.

Os municípios onde há protestos de caminhoneiros são:
Santo Estevão
Itatim
Milagres

Muritiba
Cruz das Almas
Jequié

Poções
Manoel Vitorino
Vitória da Conquista

BR-324: Ainda conforme a Via Bahia, a rodovia está parcialmente interditada no trecho de Amélia Rodrigues, sentido Feira de Santana, apenas a faixa da direita está bloqueada, mas sem retenção de veículos.

BA-526 (Cia-Aeroporto): Segundo a concessionária Bahia Norte, o protesto ocorre no km 13 da rodovia, nos dois sentidos. A manifestação permite apenas a passagem de automóveis e ônibus. Não há registro de congestionamento no local.

BA-535 (Via Parafuso): Há registro de um ponto de protesto na altura do Km-10 da rodovia, de acordo com a Bahia Norte, contudo não há congestionamento. No sentido Camaçari, caminhões estão estacionados no acostamento.

Oeste da Bahia: Na região oeste, são registrados nove pontos de protesto em rodovias federais que cortam a Bahia: na BR-135, em Formosa do Rio Preto e em São Desidério; Na BR-020, em São Desidério, Luís Eduardo Magalhães e Correntina; na BR-242, em Luís Eduardo Magalhães e Barreiras; e na BR-349, em Santa Maria da Vitória.

Sul da Bahia: No sul do estado, há protestos registrados em três rodovias: na BR-415, saída da cidade de Itabuna; na BR-101, em Itabuna, Camacã, Nova Viçosa, Mucuri, Teixeira de Freitas, Itamaraju e Eunápolis; e na BR-418, no distrito de Posto da Mata, em Nova Viçosa.

Proposta: Representantes de caminhoneiros autônomos afirmaram que aprovam as proposta anunciadas no domingo (27) pelo presidente Michel Temer. Com a nova proposta, detalhada por Temer durante pronunciamento, o governo espera encerrar a greve dos caminhoneiros. Entre as medidas está a redução de R$ 0,46 no preço do litro do diesel por 60 dias e a isenção de pegamento de pedágio para eixos suspensos de caminhões vazios. Apenas a redução de R$ 0,46 no preço do diesel custará ao governo R$ 10 bilhões.

F: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário