domingo, 3 de junho de 2018

Deri do Paloma é eleito novo prefeito de Jeremoabo

O candidato Deri do Paloma (PP) foi eleito novo prefeito de Jeremoabo, a 400 km de Salvador, na noite deste domingo (3), em eleições suplementares. A cidade, que tem cerca de 26 mil eleitores, teve um dia tranquilo, com a votação se encerrado às 17h. Segundo balanço do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA), houve apenas um caso de urna com problema, no Colégio José Nolasco, que foi substituída. Ao todo, 110 equipamentos foram preparados para o pleito - 16 para casos de contingência.
Por conta da votação, o comércio e consumo de bebida alcoólica foram proibidos até as 19h deste domingo.


A apuração se encerrou por volta das 19h30. Deri do Paloma teve 55,23% dos votos válidos, contra 44,77% de Antônio Chaves. Foram 2,53% de votos nulos e 0,95% de votos brancos. Ao todo, 21.461 eleitores compareceram para votar. Outros 5.048 não votaram, o que equivale a 19,04% de abstenção.

A chapa vencedora conta ainda com o vice Luiz Carlos Bartilotti Lima, o Lula de Dalvinha, do DEM. A outra chapa, derrotada, era formada por Antônio Chaves (PSD) e por Edriane Santana dos Santos, a Diana de Irene, também do PSD.
A diplomação dos eleitos está prevista para acontecer em 18 de junho. A posse está marcada para 3 de julho. O mandado dos vencedores segue até dezembro de 2020.


Essa foi a primeira vez que uma eleição complementar aconteceu em Jeremoabo. O juiz da 51ª Zona Eleitoral, Paulo Eduardo de Menezes Moreira, destacou que tudo aconteceu com segurança e tranquilidade. “A movimentação foi dentro do esperado. Sabíamos que o clima seria mais tenso do que 2016 porque os grupos políticos que disputaram já têm um histórico de muita rivalidade, porém não tivemos muitos problemas”, diz. Além da proibição da venda de bebida alcóolica, houve uma logística especial feita em parceria com o Ministério Público e a Polícia Militar para manter a tranquilidade na eleição. “Essa preparação foi crucial para a manutenção da paz e da ordem neste pleito suplementar”, acredita.

Registro indeferido
As novas eleições na cidade acontecem depois de a candidata à prefeita mais votada no pleito de 2016, Anabel de Tista (PSD), ter o registro indeferido e os votos não validados. Na ocasião, ela disputou a eleição com recursos na Justiça Eleitoral.
O TRE não especificou porque Anabel teve o registro indeferido. Em 2016, outras 11 cidades da Bahia também tiveram candidatos mais votados sendo vetados pela Justiça Eleitoral, por responderem ações que envolvem a Lei da Ficha Limpa, como também a Lei de Responsabilidade Fiscal.

F: Correio

Nenhum comentário:

Postar um comentário