quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Estudo do IBGE aponta Cruz das Almas na 35ª posição em números de habitantes no estado

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, divulgados nesta quarta-feira (29/8), em 2018, 50,4% dos 14,8 milhões de baianos vivem em 8,4% das cidades, enquanto metade dos 417 municípios do estado (209) reúnem, juntos, apenas 15,9% da população (2,4 milhões de pessoas). Cruz das Almas, no Recôncavo Baiano, está entre os 35 maiores municípios da Bahia, com uma população estimada em pouco mais de 65 mil habitantes e na 35ª posição do ranking. Valença, no Baixo Sul, está em 18o com 95.858 moradores. Santo Antônio de Jesus, também no Recôncavo, é a 17ª em habitantes, com pouco mais de 100 mil moradores. Por outro lado, Dom Macedo Costa está entre as menores cidades da Bahia, com uma população estimada em 4.050 pessoas.

Entre 2017 e 2018, não houve nenhuma mudança no ranking de municípios baianos por população. Os cinco mais populosos continuam sendo Salvador, Feira de Santana, Vitória da Conquista, Camaçari e Juazeiro. Por outro lado, Catolândia (3.555 pessoas), Lafaiete Coutinho (3.757), Lajedinho (3.808), Lajedão (3.934) e Dom Macedo Costa seguem como as cinco menores cidade do estado.

Pouco mais de 1 em cada 5 pessoas (23,4%) mora nos dois maiores municípios da Bahia, Salvador e Feira de Santana, os únicos com população acima de 500 mil habitantes no estado. Por outro lado, somando a população estimada em 2018 para metade dos municípios da Bahia (209 dos 417), tem-se apenas 15,9% dos habitantes do estado, o equivalente a 2.352.989 pessoas. Além disso, quase 6 em cada 10 cidades baianas (59,0% ou 246 das 417) têm menos de 20 mil moradores cada uma em 2018. 

A concentração populacional na Bahia é um fenômeno evidenciado pelas Estimativas de População 2018, do IBGE. Divulgadas anualmente, elas estimam as populações de todos os municípios brasileiros por um método matemático. Resultam da distribuição das populações projetadas para os estados (a partir de indicadores de nascimentos, mortes e migração), segundo a tendência de crescimento demográfico de cada município, delineada nos dois últimos Censos Demográficos (2000 e 2010). Também incorporam eventuais alterações de limites territoriais.

Segundo as estimativas, em 1º de julho de 2018, a Bahia tinha 14.812.617 habitantes e continuava a ser o quarto estado mais populoso do país, atrás de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Com população estimada em 2.857.329 pessoas, Salvador também se mantém, em 2018, como o quarto maior município do Brasil, abaixo de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Metade (50,4%) da população estimada para o estado em 2018, ou 7.470.167 dos 14.812.617 baianos, se concentra em apenas 35 municípios (8,4% dos 417 existentes). E 1 em cada 5 pessoas (23,4% da população ou cerca de 3,6 milhões de baianos) vive nas duas maiores cidades: Salvador e Feira de Santana, as únicas com mais de 500 mil habitantes.

O quadro a seguir mostra os 35 maiores municípios do estado, segundo as Estimativas de População de 2018.
Apesar de revisões para baixo em 2018, Bahia e Salvador se mantêm em 4º lugar nos rankings nacionais de população por estado e município.
Com a revisão da Projeção de População realizada em 2018, e divulgada em 25 de julho pelo IBGE, a estimativa de população para a Bahia, neste ano, foi ajustada para baixo e ficou em 14.812.617 pessoas. Esse total foi 3,5% menor que a estimativa de 2017, que havia sido de 15.344.447 habitantes (menos 531.830 pessoas).

A revisão do cálculo para baixo ocorreu em consequência, sobretudo, de uma redução no componente natalidade, uma vez que o número de nascimentos registrados no estado, entre 2000 e 2016, foi menor do que previa a projeção anterior, de 2013.

Ainda assim, em 2018, a Bahia continua a ter a quarta maior população entre as unidades da Federação, abaixo apenas de São Paulo (45.538.936 pessoas), Minas Gerais (21.040.662 habitantes) e Rio de Janeiro (17.159.960 pessoas).

A revisão para baixo na projeção da população da Bahia para 2018 repercutiu nas estimativas populacionais de todos os municípios do estado, inclusive Salvador. A capital teve sua população estimada em 2.857.329 pessoas neste ano, 3,3% menor que a de 2017 (que havia sido de 2.953.986 pessoas).

Apesar disso, Salvador também se manteve como a quarta maior cidade do país, em termos populacionais, embora tenha aumentado sua distância em relação à terceira colocada, Brasília (com 2.974.703 moradores estimados em 2018) e reduzido em relação a Fortaleza, quinta colocada (com 2.643.247 pessoas).

Dos 417 municípios baianos, apenas Luís Eduardo Magalhães, no Oeste do estado, não teve sua população reduzida entre 2017 e 2018: passando de 83.557 habitantes para 84.753, o que equivale a um aumento de 1,43% (mais 1.196 pessoas). Todos os demais sofreram ajustes para se adequar ao novo patamar populacional do estado.


F: Informações Andaiá FM

Um comentário:

  1. poderia estar na primeira colocação. Porém é uma cidade muito ruim para geração de emprego.
    Não tem um pólo industrial e dificulta a inserção de trabalhadores no mercado de trabalho .

    ResponderExcluir