terça-feira, 6 de novembro de 2018

“Advogados e advogadas do interior não se sentem representados pela atual gestão da OAB”, disse Gamil Föppel

O advogado Gamil Föppel, candidato à presidência da Ordem dos Advogados da Bahia (OAB-BA), apresentou hoje uma série de propostas da chapa Renova OAB 30 a advogados e advogadas que estão lotados no município Teixeira de Freitas. Durante entrevista no programa de Lucas Bocão, na Rádio Cidade, Gamil disse que será enérgico, altivo e intransigente para fazer com que advogados e advogadas de toda a Bahia sejam respeitados nas varas, comarcas, juizados e tribunais. “Há varas em Teixeira de Freitas e na região que estão sem juízes há dois anos e sete meses, mas a OAB permanece omissa para resolver a situação”, denunciou, perguntando a advogados e advogadas da região: “Qual foi o último curso de excelência ministrado pelo Escola Superior de Advocacia?”

Segundo a candidata ao Conselho Federal da OAB Gine Alberta Ramos, não dá mais para a OAB ser gerida pelo mesmo grupo. “Nós, aqui no extremo sul, temos vivido uma realidade nefasta. O Tribunal de Justiça não tem olhado para o extremo sul com o respeito e o carinho que merecemos. Não temos justiça. Teixeira de Freitas tem duas varas cíveis e nenhum juiz titular. Na região, só Itamaraju tem juiz, todas as demais cidades estão sem juiz na primeira e segunda vara. Vamos ao fórum e não temos como despachar processos. Por que a OAB não conseguiu mudar essa situação?”, questiona a advogada.

Gamil informou que a candidata a vice-presidente em sua chapa é advogada do interior “porque reconhecemos a importância da mulher e do interior em nossa chapa. Qualitativamente as mulheres ocupam lugar de destaque” afirmou.

Ele disse também que fará o enfrentamento do Judiciário para que as situações de conforto sejam evidenciadas. “Temos a segunda pior prestação jurisdicional do Brasil. Se você não tirar o gestor do tribunal de Justiça da posição de conforto, isso não vai mudar”.

“Estamos insatisfeitos com a postura omissa da OAB em relação a questões de interesse da classe e da sociedade. Tenho convicção de que os colegas e as colegas do interior não se sentem representados pela atual gestão da OAB.

“Por isso queremos profissionalizar a gestão da ordem. Temos um orçamento de 38 milhões anuais.Mas só se lembram do interior quando é pra inaugurar sede”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário