terça-feira, 3 de dezembro de 2019

Após feminicídio em Cachoeira, ONU faz apelo pelo fim da violência contra a mulher

Duas entidades ligadas à Organização das Nações Unidas (ONU), a ONU Mulheres e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), emitiram uma nota se solidarizando com os amigos, amigas e familiares da estudante de Serviço Social da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Elitânia de Souza da Hora, assassinada na última quarta-feira (27), em Cachoeira.

Na nota, as entidades também se solidarizam "com todas as organizações, movimentos e pessoas que lutam pelo fim da violência contra as mulheres e em defesa dos direitos humanos" e fazem um apelo para que o caso seja apurado e solucionado.

A vítima era ativista dos direitos humanos e atuava enquanto liderança da Comunidade Quilombola do Tabuleiro da Vitória, no mesmo município em que estudava. De acordo com as entidades, "Elitânia foi violentamente assassinada a tiros, a despeito de uma medida protetiva, em um caso suspeito de feminicídio. Sua morte ocorreu apenas dois dias depois da abertura da mobilização anual dos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres, organizada pelas Nações Unidas, parcerias governamentais e a sociedade civil".

"Essa perda irreparável demonstra o quanto ainda falta a ser feito para garantir que o investimento feito em nossa juventude não seja perdido", ressalta o texto, salientando também que recursos devem ser garantidos para a proteção social, prevenção, acolhimento, justiça, reparação e campanhas públicas, bem como o pleno funcionamento da rede especializada de enfrentamento à violência contra a mulher em todo o país.

Vale ressaltar que os casos de violência contra mulher devem ser denunciados atravé do Disque 180.

F: Bahia Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário