loading...

terça-feira, 10 de dezembro de 2019

CACHOEIRA: Estudante do CHAL é convidado a se retirar da sala de aula após suposto ato de racismo

Um estudante do curso de história do Centro de Artes, Humanidades e Letras - Cahl, da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - UFRB no município de Cachoeira, no Recôncavo Baiano, foi 'convidado' a se retirar da sala da aula pela coordenação do Colegiado de História na frente de toda a turma acusado de racismo contra a professora.

De acordo com as imagens de um vídeo que circula nas redes socias na manhã desta terça-feira (10/12), a professora está distribuindo as provas para os alunos, mas o estudante, que está de camisa amarela e sentado na primeira mesa, teria se recusado a receber das mãos da professora a prova. Por conta da recusa, ele é chamado de 'racista' pelos demais colegas da sala, embora não esteja claro nas imagens que se trate de um caso de racismo.
Membros do Colegiado de História são chamados para intervir na situação. Sem se identificar, a coordenadora do Colegiado pergunta a profesora se ela está 'confortável e em condições de prosseguir a avaliação com o estudante em sala de aula'. A professora, por sua vez, responde que 'tumultuou. Eu queria que ele saísse'.

Toda situação foi filmada, mas ainda não se sabe quem fez a postagem. A coordenadora do curso convida o aluno a se retirar da sala e pede aos demais estudantes que se coloquem á disposição, pois 'irá convocar os alunos para servir como testemunha'. Sob aplausos dos demais e com gritos de 'fora racista', o estudante calmamente sai da sala.

Os comentários seguintes criticam a postagem e põem em dúvida os internautas. "Desde quendo ele se recusa a pegar uma prova das mãos de um professor (a) já torna uma grande falta de respeito... Racista, preconceituoso e fraco de espírito", escreveu um internauta. Há quem discorde. "Nada 'haver'' isso, o cara não quis pegar a prova em momento nenhum desrespeitou'. "Vamos ver o que foi dito por esse cidadão antes, são muitos contra um, pra mim, falta de respeito sim, ele se mostrou no mínimo, preconceituoso", escreveu outro. "Em momento nenhum ele fala que não quer pegar a prova, e é um direito dele. Só vi o arlarmar dos profesores e alunos. É muito complexo, as pessoas hoje se incomodam com tudo. Isso vai dar um problema. Se ele tiver um bom advogado", opinou outro internauta.

UFRB apura o caso
Procurada pela reportagem do Andaia.com.br nesta manhã, a Assessoria de Comunicação da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, respondeu, via WhatsApp, que ainda não há um posicionamenrto da Universidade. "A direção do Centro de Artes, Humanidades e Letras da UFRB está apurando", informou.

F: Andaiá FM

Nenhum comentário:

Postar um comentário