segunda-feira, 13 de maio de 2019

Filme produzido no Recôncavo baiano será exibido no Cine Rio Branco em Nazaré

Dando continuidade às exibições do Circuito Luiz Orlando de exibição audiovisual, onde na primeira exibição trouxe para a comunidade nazarena o longa-metragem (1798: Revolta dos Búzios) em janeiro deste ano. Agora, na segunda exibição do circuito na cidade teremos o longa metragem baiano de ficção (Café com Canela), de Glenda Nicácio e Ary Rosa. Realizado no Recôncavo da Bahia, o longa é marcado por representatividades negras. O enredo do filme conta o reencontro de suas mulheres com vidas marcadas pelo luto, além de abordar aspectos diversos como ancestralidade, machismo e homofobia.

O longa metragem já exibido em festivais nacionais e internacionais, trata do reencontro de Margarida, que vive em São Félix, isolada pela dor da perda do filho, e Violeta, que mora em Cachoeira (ambas são pequenas cidades do Recôncavo Baiano), e vive as adversidades do dia a dia e os traumas do passado.

A segunda sessão do Circuito Luiz Orlando, será realizada novamente no Cinema Rio Branco em Nazaré, movimentando novamente o centro cultural com exibições cinematográficas. Serão convidados para a sessão, representantes de grupos culturais e artísticos, alunos e professores para participarem do debate com o diretor Ary Rosa após a exibição do filme.

O Circuito Luiz Orlando de exibição audiovisual é Promovido pela Fundação Cultural do Estado da Bahia, através da Diretoria de Audiovisual (DIMAS). E está acontecendo em 85 cidades baianas através do Projeto Escolas Culturais, uma ação do Governo do Estado da Bahia desenvolvida por meio da iniciativa interinstitucional firmada entre as Secretarias da Educação (SEC), Secretaria de Cultura (SECULT) e Secretaria de Justiça Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) executada pelo Instituto de Ação Social pela Música – IASPM.

SINOPSE DO FILME:
(Café com canela) Direção: Glenda Nicácio, Ary Rosa  / 1h 42m

Após perder o filho, Margarida vive isolada da sociedade. Ela se separa do marido Paulo e perde o contato com os amigos e pessoas próximas, até Violeta bater na sua porta. Trata-se de uma ex-aluna de Margarida, que assume a missão de devolver um pouco de luz àquela pessoa que havia sido importante para ela na juventude.

Nenhum comentário:

Postar um comentário