loading...

sábado, 28 de dezembro de 2019

Terreiro influente da Bahia, Ilê Axé Opô Afonjá escolhe nova ialorixá

Foram os orixás, por meio do jogo de búzios, que selaram o destino de um dos terreiros de candomblé mais influentes do Brasil.

Ana Verônica Bispo dos Santos, a Ana de Xangô, foi escolhida na manhã deste sábado (28/dezembro) em Salvador a nova líder religiosa do Ilê Axé Opô Afonjá. Com 53 anos, ela é pedagoga e professora em uma escola particular da capital baiana.

A ialorixá Ana de Xangô sucede Maria Stella de Azevedo Santos, a Mãe Stella de Oxóssi. Sacerdotisa do terreiro desde 1976, ela era uma das ialorixás mais importantes do país e morreu em dezembro do ano passado aos 93 anos.

Mãe Stella dedicou 80 anos da vida ao candomblé e comandou durante 42 anos Ilê Axé Opô Afonjá.  Enfermeira de formação, ela também era escritora e tornou-se uma referência nas lutas contra a intolerância religiosa e contra o racismo no país.

Mãe Ana de Xangô é a sexta ialorixá do Ilê Axé Opô Afonjá. Ela não tem laço de parentesco com a antecessora, mas foi iniciada no candomblé há 31 anos pela própria Mãe Stella de Oxóssi.

No Ilê Axé Opô Afonjá, a sucessão não segue a linha familiar: são os orixás, através do jogo de búzios, quem escolhem a nova ialorixá. Foi assim que Mãe Stella foi escolhida sacerdotisa em 1976, mesmo não sendo parente de Mãe Ondina nem de sua antecessora, Mãe Senhora.

Fundado em 1910 por Mãe Aninha, o Opô Afonjá é um dos terreiros mais antigos do país. Foi frequentado por baianos ilustres como Jorge Amado e Dorival Caymmi, além do artista plástico argentino Carybé e do fotógrafo francês Pierre Verger, radicados na Bahia.

A sucessão ocorreu um dia depois do encerramento do axexê, período dedicado aos rituais fúnebres do candomblé e no qual os rituais litúrgicos do terreiro são suspensos.

O jogo de ifá, no qual é feita a interpretação dos búzios, foi feito pelo babalorixá Balbino Daniel de Paula, sacerdote do terreiro Aganju que foi iniciado por Mães Senhora, terceira ialorixá a comandar o Opô Afonjá.

A sucessão ocorreu em um clima de tranquilidade, a despeito do período conturbado que o terreiro enfrentou nos últimos anos. No final de 2017, em meio a uma disputa familiar, Mãe Stella deixou o terreiro e foi morar na cidade de Nazaré, no recôncavo baiano.

Com a idade avançada, Mãe Stella estava com a saúde debilitada após sofrer um acidente vascular cerebral. Já tinha perdido parte da visão e se locomovia com a ajuda de uma cadeira de rodas. Desde 2016, não participava de cultos e festividades do terreiro.

A saída da sacerdotisa do terreiro havia criado uma situação peculiar, já que a sucessão só poderia ser realizada após a morte da ialorixá.

Com a escolha da nova sacerdotisa, o Ilê Axé Opô Afonjá voltará a funcionar de forma plena, retomando uma série de ritos que deixaram de ser realizados com a ausência da ialorixá.

F: Folha de São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário