quarta-feira, 9 de dezembro de 2020

Alan Sanches avalia medidas do prefeito em combate à Covid- 19 como assertivas para evitar colapso

O deputado estadual estadual Alan Sanches (DEM) considerou o cancelamento pelo prefeito ACM Neto (DEM) da Virada Salvador - uma live que aconteceria no dia 31 - , como medida mais assertiva em combate a nova onda da Covid 19, bem como a interdição do calçadão e da praia da Barra para evitar aglomerações como assertivas para evitar um colapso. Ainda a não divulgação dos locais da queima de fogos em diversos pontos da cidade por questões de segurança sanitária.

Afinal, não podemos ignorar que a capital baiana registra 100.832 casos de Covid-19 desde o início da pandemia, com 2.038 casos ativos e 3.057 óbitos e nos últimos dias o cenário, infelizmente, piorou com aumento expressivo dos números de infectados e nesse momento o importante é salvar vidas, sem nenhum motivos para comemorar ainda que adote medidas impopulares”, elencou.

O parlamentar não deixou de frisar as medidas decretadas pelo gestor que entram em vigor a partir desta quarta-feira (9) que evitam aglomerações, como redução de horário de fechamento de estabelecimentos em alguns bairros, a suspensão das atividades em cinemas, teatros e demais casas de espetáculo, assim como das atividades sociais como festas nos clubes sociais, recreativos e esportivos. Apenas as atividades esportivas estarão mantidas. “Nos resta esperar que a população se conscientize da gravidade da situação que estamos vivendo”.

As coisas pioraram muito nos últimos 15 dias e, diante desse aumento expressivo a gestão que não tem vacinas e está aumentando o número de leitos para não entrar em colapso (até o próximo dia 20, de 40 leitos de UTI), não tem motivos para celebrar, mas de se preocupar e muito. Essa é uma medida necessária para que todos fiquem atentos para o risco que estamos correndo de a segunda onda ser pior que a primeira”, alertou o parlamentar que é médico por formação.

Somente esta segunda-feira (7), a Secretaria Municipal de Saúde, pontua Sanches, registrou o índice de 77% de ocupação de leito de UTI, contra 56% no último dia 22. A média móvel neste caso, que havia apresentado aumento de 6% na semana 48, na semana 50 já chega a 11%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário