sábado, 11 de setembro de 2021

Bibi promete exportar produção fabricada em Cruz das Almas

Reforçando a importância e qualidade do calçado Made in Brazil, desde 1970 a Bibi exporta seus produtos e inicia na década de 90 a comercialização com marca e design próprio para outros mercados. A Argentina, na América do Sul, foi o primeiro País a receber os produtos após a mudança.

A Argentina, na América do Sul, foi o primeiro País a receber os produtos após a mudança. Atualmente, a Bibi está presente em mais de 70 países em todos os continentes via exportação direta a franqueados, lojistas multimarcas, virtuais ou, dependendo da região, também distribuidores. A produção anual de calçados é de 2 milhões de pares nos parques fabris localizados em Parobé, no Rio Grande do Sul, e Cruz das Almas, na Bahia, sendo que 20% serão destinados à exportação neste ano. Em comparação com 2019, a marca registrou um incremento de 27% na exportação de pares para países da América Latina e de 76% para a Europa.

Para a Bibi, os principais diferenciais competitivos para a exportação englobam o alinhamento com as tendências da moda mundial, as tecnologias relacionadas ao conforto e bem-estar da criança, além de uma cadeia de suprimentos altamente qualificada. Outra questão importante é a proximidade aos mercados de alto consumo e facilidades logísticas. A atuação em países da América do Sul, por exemplo, segue o mesmo calendário do Brasil.

Com base na atuação do setor como um todo, destaco a expertise na produção de calçados brasileiros, já que várias marcas estão se reinventando e apostando em tecnologias de ponta e o alinhamento com as principais tendências do mercado. E, mais especificamente falando sobre a Bibi, já somos reconhecidos pela inovação nos produtos e pelo desenvolvimento de calçados que promovem o crescimento natural e saudável do pé da criança”, revela a presidente da marca, Andrea Kohlrausch.

Durante a pandemia, a marca promoveu diversas rodadas de negócios e showrooms virtuais com o objetivo de apresentar as coleções, estreitar a relação e obter novas frentes em territórios onde não está presente. No primeiro semestre, esse trabalho foi desenvolvido em países como Rússia, França e Inglaterra. O próximo projeto seguindo as mesmas diretrizes será com foco para o Oriente Médio.

“No início do ano, um dos países que se destacou na exportação foi Israel, no Oriente Médio, por ter um avanço significativo na vacinação. Mas se levarmos em conta o primeiro semestre de 2021, a Europa vem se destacando e apresentando um sell-out expressivo se comparado com outros continentes. Com uma procura maior, tivemos que efetuar alguns embarques aéreos para suprir a demanda do mercado. E isso é ótimo, mostra a recuperação. Aqui na América Latina, os principais destinos dos calçados da Bibi são para Peru, Equador, Chile e Argentina. Acreditamos em um cenário positivo com a retomada da produção”, explica Kohlrausch.

E-commerce

Em 2020, a Bibi lançou o e-commerce com venda direta para os consumidores da marca no Chile. O projeto completa um ano em setembro com resultados satisfatórios. Inicialmente, o canal teve um período de maturação, com números crescentes principalmente no último trimestre do ano passado.

Com base nas vendas gerais, levando em conta e-commerce, multimarcas e marketplaces, as vendas no Chile tiverem um aumento de 270% quando comparados os anos de 2019 e 2020. Até o momento, neste ano, a marca de calçados já registrou um incremento de 10% em relação ao ano passado. Dessa forma, a empresa tem uma perspectiva bastante positiva para o mercado chileno e projeta um crescimento em torno de 60% em relação a 2020.

Temos estratégias de negócios diferenciadas. Investimos na expansão da rede de franquias internacionais em mercados-alvo, que são pré-determinados pela Bibi, assim como na expansão do projeto de e-commerce internacional, acelerando assim a presença no digital no mercado externo. Atuamos de forma constante em ampliar nossa rede de distribuição, por meio de vendas diretas e pela entrada em marketplaces internacionais em mercados estratégicos”, ressalta a presidente da Bibi.

Fundada em 1949, a Calçados Bibi é referência no mercado de calçados infantis que são exportados para mais de 70 países, nos cinco continentes, como Estados Unidos, Inglaterra, Japão, China, Índia, Emirados Árabes, Argentina, Peru, entre outros. No Brasil, a marca está em mais de 3,5 mil pontos de venda multimarcas, além do e-commerce e de uma rede de franquias com mais de 130 lojas. A empresa é a única calçadista certificada pelo Selo Diamante de Sustentabilidade, produz calçados para crianças de 0 a 9 anos e desenvolveu a palmilha Fisioflex, que se ajusta à anatomia do pé, com tecnologia que proporciona a sensação de andar descalço.

Em parceria com o IBTec (Instituto Brasileiro de Tecnologia do Couro, Calçados e Artefatos), a Bibi monitora todos os materiais para utilizar somente os que estão de acordo com os padrões internacionais quanto a substâncias tóxicas, assegurando o desenvolvimento saudável das crianças e a tranquilidade de pais e mães ao investir em produtos não tóxicos. A marca dispõe de um mix completo de produtos pensado para cada fase do desenvolvimento infantil e o couro é a principal matéria-prima utilizada na fabricação dos calçados.

A boa relação com os distribuidores em diferentes países fez com que a rede investisse na internacionalização da franquia, com o mesmo modelo de negócio implantado em diferentes estados brasileiros. A primeira loja foi inaugurada em setembro de 2017 em Lima, capital do Peru. Hoje já são 14 operações no exterior, sendo um e-commerce no Chile que é considerado frente de loja pela marca e 13 franquias localizadas nos países da América do Sul e Central.

Nenhum comentário:

Postar um comentário