terça-feira, 15 de fevereiro de 2022

Herpes simples: o que é, sintomas e cuidados

Virou notícia na semana passada que um participante do BBB que está com herpes labial beijou a colega. E agora, o que pode ocorrer? Ela está infectada? Depois que a pandemia da Covid-19 pegou o mundo há dois anos, todos nós ficamos mais “entendedores” sobre viroses, formas de transmissão de vírus e cuidados que devemos adotar no nosso dia a dia. No caso do Eliezer, participante do programa Big Brother Brasil, ele está com uma infecção na pele, próxima à boca, causada pelo vírus herpes simples. Como ele beijou a mineira Natália, ela pode desenvolver a infecção também.

Segundo explica o infectologista Rodrigo Farnetano, da Rede Mater Dei de Saúde BH, o vírus do herpes simples se divide em tipo I e tipo II. Ambos podem acometer a região da boca, dos genitais e também atingir outras partes da pele do corpo - e raramente órgão internos.

Pelo menos 80% da população adulta é portadora do vírus herpes simples, porém, a maioria das pessoas tem poucos ou nenhum sintoma e nem sabem que são portadoras. Quando há sintomas, estes surgem como ardor, queimação ou incômodo na região da pele onde a doença se manifestar. Pouco tempo depois, começa a surgir uma área vermelha no local de dor, que rapidamente evolui para a formação de pequenas bolhas. Após alguns dias, as bolhas vão estourar e deixar crostas (“cascas”) para depois ocorrer a cicatrização completa, um ciclo que pode durar de uma a duas semanas.

“Na primeira vez em que a pessoa manifesta o herpes simples, ela pode ter febre e mal estar. E mesmo com o término de atividade infecciosa do vírus, ele permanecerá no organismo pelo resto da vida em estado latente de replicação, pois fica alojado em nossos nervos periféricos”, explica o infectologista.

Geralmente adquire-se o vírus quando há contato, sem proteção, com as lesões de herpes. A transmissão entre as pessoas ocorre principalmente quando as lesões estão em fase de bolhas (sua fase ativa). Quando só há crostas a transmissão tende a cessar. Quem já teve lesão ativa pelo herpes, pode vir a desenvolver um quadro recidivas.

Tratamento e prevenção - Segundo o médico, não há vacina ou medicamentos que eliminem o vírus do organismo em definitivo. O objetivo do tratamento é encurtar o tempo de manifestações da atividade herpética e evitar complicações, que são muito raras.

A prevenção contra o herpes simples é evitar o contato direto com as lesões e também contato indireto com roupas, materiais e utensílios pessoais para alimentação, higiene e vestuário que tiverem tido contato com as lesões. É muito importante que quem está com a infecção em atividade evite tocar em suas lesões. E sempre que o fizer, deve higienizar as mãos.

Rede Mater Dei de Saúde

Somos uma rede de saúde completa, com 41 anos de vida, tendo o paciente no centro de tudo e ancorada em três princípios: inteligência e humanização como pilares do atendimento; tecnologia como apoio da excelência; e solidez das governanças clínica e corporativa. Nossos serviços médico-hospitalares estão disponíveis para toda a família, em todas as fases da vida, com qualidade assistencial e profissionais altamente capacitados e especializados. Estamos em expansão, levando para mais pessoas o Jeito Mater Dei de Cuidar e de Acolher. Nossa premissa é valorizar a vida dos nossos pacientes em cada atendimento, disponibilizando o melhor que a medicina pode oferecer.

Unidades

Minas Gerais: Hospital Mater Dei Santo Agostinho, Hospital Mater Dei Contorno, Hospital Mater Dei Betim-Contagem, Hospital Santa Genoveva e CDI Imagem

Bahia: Hospital Mater Dei Salvador (inauguração em breve) e Hospital EMEC

Goiás: Hospital Premium

Pará: Hospital Porto Dias

Sujeito ao closing

Nenhum comentário:

Postar um comentário