loading...

quinta-feira, 22 de outubro de 2020

Aplicativo viabiliza execução de projetos de associações e cooperativas da agricultura familiar baiana

Dentre as tecnologias que vêm permitindo a execução do maior projeto de desenvolvimento rural do Governo do Estado – o Bahia Produtiva -, está o SOL (Solução Online de Licitação), primeiro aplicativo de licitações do Brasil a usar tecnologia blockchain. O sistema é utilizado por associações e cooperativas da agricultura familiar beneficiadas pelo Bahia Produtiva para aquisição de bens, serviços e obras.


O SOL utiliza base de dados descentralizada, oferece confiabilidade e audibilidade sobre o código-fonte, os dados recebidos e as ações realizadas. O sistema garante a integridade do processo licitatório, facilita e agiliza o acesso de organizações produtivas da agricultura familiar baiana a fornecedores de bens, serviços e obras, de todo o país, possibilita transparência em suas aquisições, gera eficiência na gestão de recursos públicos, movimenta a economia local e fortalece a economia.

Desde o lançamento, em julho de 2019, já foram concluídas mais de 700 licitações pelo SOL e, mesmo diante do cenário da pandemia, as licitações continuaram ocorrendo. Os itens adquiridos vão desde material de expediente até equipamentos pesados para agroindústrias.

A Assessora de Aquisições do Bahia Produtiva, Nara Lins, ressalta a continuidade do serviço, mesmo diante da pandemia: “As licitações realizadas pelas entidades beneficiárias do Bahia Produtiva continuaram ocorrendo de maneira eficiente mesmo diante do cenário da pandemia. O aplicativo SOL permitiu que empresas de todo o Brasil continuassem fornecendo bens e serviços e possibilitou que mais de 600 licitações fossem abertas desde o mês de março até setembro de 2020”.

O Bahia Produtiva conta com 27 Assistentes Territoriais que, entre as atribuições, estão a da revisão das licitações criadas pelas organizações produtivas beneficiárias, a análise e a aprovação. Cabem aos assistentes territoriais a articulação com os programas voltados para os processos de comercialização e políticas públicas de fomento, produção, agroindustrialização e assistência técnica, o acompanhamento e monitoramento das ações do projeto e a realização de visitas técnicas de campo para a acompanhar e supervisionar todas as etapas dos subprojetos.

Para o assistente territorial do Velho Chico, Thiago Santana, desde os primeiros testes do uso do sistema SOL, já era nítida a agilidade e segurança de se realizar processos aquisitivos no âmbito do projeto: “Antes era necessário mapear empresas no município, na região, que atendessem determinada demanda de produto, verificar se elas tinham interesse em participar do processo, analisar todas as propostas uma a uma e suas documentações, escrever atas, gerar ordens de serviços, isso quando não havia a necessidade de se repetir todo esse processo. Desde que o sistema começou a operar, boa parte dessas atividades se tornaram mais ágeis ou ainda foram integradas automaticamente. O que permitiu uma fluidez e um processo mais tranquilo, além de maior segurança”.

Para o assistente territorial do Sisal, Florisvaldo Júnior, o que a torna a experiência inovadora é a possibilidade de um empreendimento, que antes tinha dificuldades para aquisição de determinado item, ter acesso a ele: “O produto disponível no mercado local não era o esperado em termo de qualidade e com preço elevado, conseguir comprar através do Sol, em outro estado, um produto de ótima qualidade e com preço acessível, além da entrega de todo o material na sede da associação, gera praticidade e economia”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário