segunda-feira, 27 de setembro de 2021

Ministro João Roma pretende extender o Auxílio Emergencial

O Auxílio Emergencial está chegando ao fim e deve fazer o seu último pagamento no final do próximo mês de outubro. Mas se depender do Ministério da Cidadania, essa informação vai mudar. De acordo com informações da imprensa, o Ministro João Roma estaria trabalhando para esticar o benefício.

E não seria mais uma pequena prorrogação. Ainda de acordo com informações da imprensa, o desejo é seguir com o programa durante vários meses de 2021. Vale lembrar que essa não é uma informação oficial ainda. Até aqui, o Governo Federal segue conformando que o Auxílio vai acabar em outubro.

No entanto, é de se acreditar que o Ministério da Cidadania esteja trabalhando por debaixo dos panos para mudar isso. E as própria entrevistas do Ministro João Roma poderiam comprovar essa teoria. É que ele vem dizendo com uma certa frequência que estaria preocupado com as pessoas que ficarão órfãs do Auxílio Emergencial.

A ideia de Roma é manter o projeto até 2022. Só que isso não aconteceria nos mesmos moldes de agora. Ele quer que o Governo vá diminuindo a quantidade de usuários e os valores do programa mês após mês. A ideia é que as pessoas que forem demitidas acabem ganhando empregos.

No entanto, vale lembrar que essa poderia ser uma aposta muito alta. Ainda no final do ano de 2020, o Ministro da Economia, Paulo Guedes, decidiu cancelar o Auxílio Emergencial alegando que os usuários poderiam conseguir empregos no começo de 2021. No entanto, aparentemente essa ideia não deu muito certo. Tanto é que eles retomaram os pagamentos do benefício no último mês de abril.

Usuários
De acordo com o próprio Ministério da Cidadania, hoje o Auxílio Emergencial do Governo Federal atende algo em torno de 35,4 milhões de pessoas. Já o Bolsa Família está chegando na casa de cerca de 4 milhões de brasileiros neste momento.

Esses dois programas irão chegar ao fim ao mesmo tempo no final do mês de outubro. E a partir de novembro vai entrar em cena o novo Bolsa Família. Esse projeto deverá atender algo em torno de 17 milhões de brasileiros.

Pelas contas do próprio Ministro da Cidadania, João Roma, cerca de 25 milhões de pessoas que hoje recebem algum benefício irão ficar de fora de qualquer programa social a partir de novembro. E é justamente este número que está preocupando neste momento.

Prorrogação do Auxílio Emergencial
Há uma barreira para a ideia de prorrogar o Auxílio Emergencial: o Ministério da Economia. É que de acordo com informações de bastidores, o time do Ministro Paulo Guedes é contra a ideia de esticar o programa por ainda mais tempo.

A aposta do Ministério da Economia é investir na criação de empregos. Por essa lógica, as pessoas que irão sair dos programas sociais poderiam passar a conseguir trabalhar formalmente. E assim, ainda na visão de Guedes, elas não precisariam mais das ajudas do poder executivo.

O que se sabe de antemão neste momento é que uma nova prorrogação do Auxílio Emergencial dependeria de aprovação do Congresso Nacional. Além disso, também se sabe que essa votação deveria ser concluída até, no máximo, o fim do próximo mês de outubro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário